5 ideias de estratégias de marketing digital para impulsionar o seu negócio em 2024

Ana Paula Martins
Ana Paula Martins

Formada em Publicidade e Propaganda; MBA Marketing Branding e Growth

Ana Paula Martins
Ana Paula Martins

Formada em Publicidade e Propaganda; MBA Marketing Branding e Growth

Em nosso último artigo de 2023 falamos sobre algumas tendências que estarão em alta nesse ano no mundo do marketing. Se você não sabe como aplicá-las na prática, vamos te dar uma forcinha. Separamos 5 estratégias de marketing, que surfam na onda dessas grandes tendências, e como desenvolvê-las, para que você não fique para trás dos seus concorrentes em 2024.

1 – Marketing de conteúdo. 

Foi se o tempo em que as campanhas invasivas e simplistas funcionavam. Sabe aquelas propagandas de televisão, com ofertas de preço enfurecidas, onde se empurravam uma grande quantidade de produtos em um espaço curtíssimo de tempo? Pois é.  

Hoje, o consumidor tem o poder de escolher onde vai colocar sua atenção, e consegue selecionar muito melhor quais propagandas irão o atingir. Portanto, o marketing que você faz da sua marca precisa merecer a atenção do seu cliente.  

Trazendo um pouco do conceito, essa estratégia consiste em crescer sua rede de clientes ou potenciais clientes por meio de conteúdo relevante para o seu público. Esse conteúdo produzido não deve ter o objetivo de vender, mas trazer algum benefício para quem o consome, seja com a solução de um problema, ensinando alguma coisa e trazendo curiosidades ou apenas entretenimento. 

Mostrando ao seu público que você entende verdadeiramente do seu assunto, você gera autoridade, credibilidade e confiança, e o resultado desse processo é a conquista de um cliente. 

O Paulo Cuenca, especialista em marketing de conteúdo, tem uma fala bem direta quanto ao assunto:

“Marketing de conteúdo é o único caminho. Quantidade leva à qualidade. Adapte-se ou morra.”

Na prática:

É preciso dedicação, trabalho e um pouco de criatividade. 

Primeiro você precisa conhecer o seu público, quais são seus interesses, dificuldades e seus desejos. A partir dessas informações, você produz o seu conteúdo. 

Se sua marca está relacionada a decoração e coisas para casa, uma loja de móveis, tintas, ou se você tem um escritório de arquitetura, por exemplo, e percebeu que seu público gosta de sempre atualizar a decoração, mas não quer gastar muito, você pode trazer dicas de como fazer isso. Depois vá aprofundando seu conteúdo. Nesse caso, você pode trazer sobre as cores e seus significados, luzes e tonalidades, plantas para cada cômodo, as tendências e novidades do mercado de design e arquitetura etc. 

Esse conteúdo pode ser divulgado em formato de vídeo em suas redes sociais, mais curtos no Instagram e no TikTok, mais longos no YouTube, como artigos de blog, como esse que você está lendo, e até em outros canais, como mostraremos no próximo item. 

2 – E-mail Marketing 

Se você acha que e-mail não funciona para venda, olhe os dados: em 2020, o mercado global de marketing por e-mail totalizou um valor de cerca de US$7,5 bilhões, e tem previsão de dobrar esse valor até 2027, de acordo com o site Statista

Além disso, é um canal perfeito para intensificar o seu marketing de conteúdo. Desde de 2019 as famosas newsletters vem em um crescente onda, e a cada ano aumenta ainda mais o número de assinantes e receita gerada por esse canal. 

Um case de sucesso é a “the News”, possivelmente a newsletter brasileira mais famosa atualmente. Apresentada como um jornal descontraído, promete te deixar inteligente e muito bem informado em poucos minutos de leitura. Criada durante a pandemia, hoje conta com mais de 2 milhões de leitores ativos. 

Na prática:

O primeiro passo é escolher uma ferramenta para envio de e-mails. O mais utilizado atualmente é o Substack. Em seguida você precisa montar a sua lista de e-mails, nessa etapa é importante uma boa segmentação. A intenção é gerar relacionamento e engajar seu público, e não ser um incômodo que vai direto para a lixeira. Selecione quem já é seu cliente, inclusive antigos, e coloque formulários de inscrição em seu site e redes sociais. Por fim, mãos à obra. Tenha consistência no envio de seus e-mails, com uma periodicidade estabelecida e lembre-se de encaminhar conteúdos verdadeiramente interessantes ao público. 

3 – Influenciadores

Ainda seguindo a linha do marketing de conteúdo, fechar parcerias com influenciadores pode ser uma grande virada de chave para o seu negócio. Não pense apenas em grandes influenciadores, com milhares de seguidores no Instagram. Influenciadores locais muitas vezes não tem uma audiência gigantesca, mas criaram uma comunidade fiel que realmente consomem suas indicações.

Na hora de buscar um digital influencer busque saber como é a comunicação com o público, leia os comentários, veja as reações, às perguntas quanto aos produtos, pedidos de links etc. Assim você consegue perceber se essa audiência é também cliente. 

Procure um profissional alinhado com a sua marca, que tenha os mesmos valores, cultura e interesses. Perceba se essa parceria fará sentido ou parecerá algo forçado. 

4 – Otimização do mecanismo de pesquisa (SEO)

Search Engine Optimization, o famoso SEO, consiste em um conjunto de estratégias de otimização de mecanismos de busca, onde, através de otimizações em seu próprio site, seja ele uma loja virtual ou um blog, você consegue atingir bons posicionamentos orgânicos no Google ou em outras redes de pesquisa. 

De todas as estratégias, essa é a mais complexa de ser executada, uma vez que requer entendimento de palavras-chave, tipos de busca, rankeamento de pesquisa e autoridade de marca. Por outro lado, tem um retorno sobre investimento (ROI) muito positivo, e um custo de aquisição de cliente (CAC) quase nulo, uma vez que são apenas estratégias orgânicas, sem mídia paga.

Nessa estratégia, assim como as anteriores, você também precisa entregar conteúdo relevante ao seu público. 

5 – Marketing Pago

Uma forma proativa de fazer a sua marca chegar ao seu público é através do marketing pago. A grande maioria das redes sociais já tem plataformas de anúncios próprias, como o Meta Ads, para o Instagram e o Facebook, e o TikTok Ads, para o TikTok, além do Google Ads, para Youtube e rede de pesquisa. 

Essa estratégia consiste em montar anúncios específicos, em vídeo, carrossel ou outros formatos de mídias, e pagar para as plataformas entregarem para determinado público. 

Marcas que anunciam com o Google, tem um retorno de investimento que pode chegar em até oito vezes, de acordo com estimativas do próprio Google. 

Mas a propaganda invasiva não está com os dias contados? 

Aí é que entra a boa estratégia. Através da Inteligência do algoritmo das redes, você consegue selecionar um público específico, que já tem interesse semelhantes ao da sua marca, ou até usar de remarketing, atingindo pessoas que já te conhecem, mas precisam de um empurrãozinho para virar seu cliente. Isso faz com que a propaganda chegue a um público muito mais assertivo, e não se torne um incômodo e sim um atrativo. 

Nessas situações é válido montar anúncios que também sejam conteúdos relevantes. De maneira sutil, você pode apresentar um produto seu, enquanto esclarece alguma dúvida ou apresenta alguma forma de entretenimento. 

De todas as estratégias, sabemos que as duas últimas são as mais complexas de executar. Se precisar de ajuda nessas e em todas as outras, a agência Feel está à disposição para te ajudar nessa jornada! 

Assine nossa newsletter!